quarta-feira, 12 de julho de 2017

ESCOLA DE FRANKFURT: TRANSFORMANDO SATANISMO EM POLÍTICA, EDUCAÇÃO E CULTURA.


Nosso declínio cultural segue sendo um plano comunista
13 de maio de 2017

A Escola de Frankfurt era um grupo de intelectuais judeus marxistas na Universidade de Frankfurt nos anos 1920-1930. Dela participavam, dentre tantos outros; Max Horkheimer, Theodor W. Adorno, Herbert Marcuse e Erich Fromm. Eles foram responsáveis ​​pela "Nova Esquerda" e pelo feminismo. Financiados pelo milionário judeu Felix Weill, eles foram fundamentais na degradação da sociedade ocidental de acordo com o plano cabalista (satanista) de longo prazo descrito nos Protocolos de Sião. A conexão entre comunismo e judaísmo é a cabala, ou seja, a maçonaria.

Timothy Mathews, no texto "A Escola de Frankfurt: Conspiração para Corromper" (Catholic Insight, março de 2009) demonstra que o judaísmo cabalista (maçônico) é um culto satânico. Primeiros judeus, depois maçons e agora a humanidade como um todo foram induzidos a este culto satânico (o comunismo) cujo objetivo é perverter, escravizar e explorar a humanidade. 


Nota do Editor - Planejo publicar artigos importantes porque muitas pessoas agora estão acordando para nossa verdadeira condição. O fato de que corporações e mídia promovem sem vergonha a agenda anti-nacional e anti-familiar provam que sucumbimos ao comunismo.

"A caça às bruxas nos campus universitários de hoje é meramente a implementação do conceito de 'tolerância repressiva' de Marcuse - 'tolerância para os movimentos da esquerda, mas intolerância para os movimentos da direita' - reforçada pelos estudantes da Escola de Frankfurt ". 

(A partir de 18 de janeiro de 2013) A Escola de Frankfurt- Conspiração para Corromper
Por Timothy Mathews
(Editado por henrymakow.com)

Basicamente, a [tarefa da] Escola de Frankfurt era minar o legado judaico-cristão. Eles moveram uma crítica altamente destrutiva e o mais negativa possível sobre cada esfera da vida visando desestabilizar a sociedade e destruir o que eles viam como a ordem "opressora".

Eles esperavam que suas políticas se espalhassem como um vírus- "continuando o trabalho dos marxistas ocidentais por outros meios", como observou um de seus membros. Para promover o avanço de sua revolução cultural "tranquila"... a Escola recomendou (entre outras coisas):

1. Criação de delitos de racismo.
2. Mudança contínua nos valores da sociedade para criar confusão.
3. O ensino do sexo e da homossexualidade às crianças.
4. A degradação da autoridade das escolas e dos professores.
5. Imigrações enormes para destruir as identidades nacionais.
6. A promoção do consumo excessivo de álcool.
7. Esvaziamento das igrejas.
8. Um sistema jurídico pouco fiável, com preconceito contra as vítimas de crimes.
9. Tornar o cidadão dependente dos benefícios do estado ou do estado.
10. Controle total sobre o comércio.
11. Incentivar a ruptura da família.

Uma das principais idéias da Escola de Frankfurt foi explorar a ideia de Freud de "pansexualismo", isto é; a busca do prazer, a exploração das diferenças entre os sexos e a superação das relações tradicionais entre homens e mulheres. Para promover seus objetivos, eles idealizaram:

• Atacar a autoridade do pai, negar os papéis específicos de pai e mãe, e arrancar das famílias seus direitos como educadores primários de seus filhos.
• Abolir as diferenças na educação de meninos e meninas.
• Abolir todas as formas de dominação masculina - daí a presença de mulheres nas forças armadas.
• Declarar que as mulheres são uma "classe oprimida", e que os homens são "opressores".



Wily Munzenberg (acima) resumiu a operação de longo prazo da Escola de Frankfurt: "Faremos o Ocidente tão corrupto a ponto de feder".

A Escola acreditava que havia dois tipos de revolução: (a) política e (b) cultural. Revolução cultural derruba de dentro para fora. "As formas modernas de sujeição são marcadas pela suavidade". Eles viam a revolução cultural como um projeto de longo prazo e mantiveram suas vistas claramente focadas na família, na educação, na mídia, no sexo e na cultura popular.

A FAMÍLIA PATRIARCAl

Seguindo Karl Marx, a Escola de Frankfurt enfatizou como a a mentira de que a "personalidade autoritária é um produto da família patriarcal". Foi Marx quem escreveu tão depreciativamente sobre a ideia de que a família é a unidade básica da sociedade. Tudo isso preparou o caminho para a guerra contra o gênero masculino promovido por Marcuse sob o disfarce de "libertação das mulheres".

Eles propuseram transformar nossa cultura em uma cultura dominada por mulheres. Em 1933, Wilhelm Reich, um de seus membros, escreveu em The Mass Psychology of Fascism que "o matriarcado era o único tipo familiar genuíno de sociedade natural".



Eric Fromm (acima) também era um defensor ativo da teoria matriarcal. A masculinidade e a feminilidade, segundo ele, não eram reflexos de diferenças sexuais "essenciais", como os românticos haviam pensado, mas derivavam de diferenças de funções vitais que, em parte, eram socialmente determinadas.

Os revolucionários sabiam exatamente o que queriam fazer e como fazê-lo. Eles conseguiram.

EDUCAÇÃO



Produto de uma antiga família Illuminati, Lord Bertrand Russell (acima) se juntou à Escola de Frankfurt em seu esforço de engenharia social em massa e plantou algumas sementes em seu livro de 1951 The Impact of Science on Society. Ele escreveu: "Fisiologia e psicologia oferecem campos para a técnica científica que ainda aguarda desenvolvimento. A importância da psicologia de massa foi enormemente aumentada pelo crescimento dos modernos métodos de propaganda, dos quais o mais influente é o que se chama 'educação'. Os psicólogos sociais do futuro tentarão diferentes métodos de produzir uma convicção inabalável de que a neve é ​​negra."  Russell disse também que a educação afirmará:
"Primeiro, que a influência do lar é obstrutiva.
Em segundo lugar, que não muito pode ser feito a menos que a doutrinação começa antes da idade de dez.
Em terceiro lugar, que os versos definidos para a música e repetidamente entoados são muito eficazes.
Em quarto lugar, que a opinião de que a neve é ​​branca deve ser mantida para mostrar um gosto mórbido pela excentricidade. E eu adianto: para conseguirem esse feito, os futuros cientistas terão de descobrir de antemão o quanto lhes custará para convencerem as crianças de que a neve é preta, bem como o quanto lhes custará para as convencerem de algo menos difícil como, por exemplo, de que a neve é cinza. Quando a técnica for aperfeiçoada, todo governo que tenha sido responsável pela educação de uma geração inteira será capaz de controlar seus súditos com segurança, sem a necessidade de exércitos ou policiais ". 

Michael Minnicino observou como os herdeiros de Marcuse e Adorno agora dominam completamente as universidades, "ensinando seus próprios alunos a substituirem a razão por exercícios rituais politicamente corretos ".

Há muito poucos livros teóricos sobre artes, letras ou linguagem que não reconheçam abertamente sua dívida com a Escola de Frankfurt. A caça às bruxas nas universidades de hoje é meramente a implementação do conceito de "tolerância repressiva" de Marcuse- "tolerância para movimentos da esquerda, mas intolerância para movimentos da direita"- reforçada pelos estudantes da Escola de Frankfurt.


MÚSICA, TELEVISÃO E CULTURA POPULAR



Theodor Adorno (acima) promoveu o uso de formas degeneradas de música para promover a doença mental e destruir a sociedade. Ele disse que os EUA poderiam ser colocados de joelhos somente pelo uso do rádio e da televisão mediante uma campanha de pessimismo e desespero. No final dos anos 1930 ele (juntamente com Max Horkheimer) tinha migrado para Hollywood.
A expansão de videogames violentos também apoiou bem os objetivos da Escola .

"EDUCAÇÃO SEXUAL"



Em seu livro O Fechamento da Mente Americana, Alan Bloom observou como Marcuse (acima) apelou aos estudantes universitários nos anos sessenta com uma combinação de Marx e Freud. Em Eros e Civilização – Uma Interpretação Filosófica do Pensamento de Freud , Marcuse prometeu que o enfraquecimento do capitalismo e sua falsa consciência resultarão em uma sociedade onde as maiores satisfações são sexuais. O rock tem seu papel nisso. A expressão sexual livre, o anarquismo e a liberação do inconsciente irracional: todos eles possuem o rock como elemento comum.

Valerie Riches observou como, no final da década de 1960 e no início da década de 1970, houve intensas campanhas parlamentares emanando de várias organizações no campo do controle de natalidade (isto é, a contracepção, o aborto, e a esterilização).

"A partir de uma análise de seus relatórios anuais, tornou-se evidente que um número comparativamente pequeno de pessoas estavam envolvidas de forma surpreendente em uma série de grupos de pressão. Esta rede não era apenas ligada por pessoas; mas por fundos, ideologia e, por vezes, endereços. Era também apoiada por interesses pessoais e subvenções (em alguns casos, operadas por departamentos governamentais). No coração da rede estava a Associação de Planejamento Familiar (FPA) com sua própria coleção de ramificações. O que descobrimos era uma estrutura de poder com enorme influência.


"Uma investigação mais aprofundada revelou que a rede, de fato se estendeu ainda mais longe mediante eugenia, controle populacional, controle de natalidade, reformas do direito sexual e familiar, educação sexual e saúde. Seus tentáculos chegaram a editoras; estabelecimentos médicos, educacionais e de pesquisa; organizações de mulheres e orientação matrimonial; enfim, qualquer lugar onde a influência pudesse ser exercida. A Escola de Frankfurt parecia ter grande influência também sobre a mídia e sobre funcionários permanentes nos departamentos governamentais de maior relevância.

"Durante nossas investigações, um palestrante em um Simpósio de Educação Sexual em Liverpool delineou táticas de educação sexual dizendo: 'se não entrarmos na educação sexual, as crianças simplesmente seguirão os costumes de seus pais.' O fato de que a educação sexual deveria ser o principal veículo para os vendedores ambulantes de humanismo secular, logo se tornou aparente. "

Tradução e edição: Leandro Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário